skip to Main Content
ÁREA DO ASSOCIADO:

Você sabia que o perfil do motorista não influencia o preço da proteção veicular? Entenda!

Você Sabia Que O Perfil Do Motorista Não Influencia O Preço Da Proteção Veicular? Entenda!

Sem dúvida alguma, uma das grandes vantagens de se poder contar com o serviço de proteção veicular é a ausência de análise de perfil do motorista. Esse tipo de procedimento é comumente adotado pelas seguradoras no momento da contratação das apólices de seguro e serve para onerar o valor dos serviços conforme as características do principal condutor do veículo.

A depender do perfil levantado, os preços dos planos de serviços poderão chegar a valores exorbitantes. No post de hoje, trataremos exatamente dessa questão, assinalando as diferenças do método de trabalho das seguradoras e das associações de proteção veicular. Continue acompanhando e saiba mais.

Análise de perfil do motorista nas seguradoras

Como vínhamos falando, as seguradoras fazem um extenso levantamento sobre as características do contratante do seguro para precificar a apólice. Nesse sentido, as principais informações levantadas dizem respeito a:

  • motoristas que conduzirão o veículo: em caso de filhos menores de 25 anos, há a cobrança de um valor adicional em função dessa condição;
  • disponibilidade de garagem: caso o seu veículo “durma” na rua, o preço também aumenta;
  • histórico de multas do motorista: motoristas que, ao longo dos anos, enfrentaram problemas com multas também pagarão um preço mais salgado pela apólice;
  • índice de criminalidade em sua região: o valor de seu seguro também vai aumentar se o seu bairro apresentar um elevado índice de furtos e roubos de veículo;

A essa lista, poderíamos acrescentar muitos outros critérios, mas ficaremos apenas com esses, por serem os principais. O que nos interessa, nesse momento, é lhe mostrar como é complicada e cara a adesão a um seguro tradicional.

Perceba que a maior parte dos critérios não pode ser controlada por você, como a questão da criminalidade e das características dos condutores do veículo. Em outras palavras, mesmo se você se esforçasse para se adequar a tantos pré-requisitos para pagar menos para proteger o seu bem, nada mudaria.

Analise de perfil na associação de proteção veicular

As únicas condições que poderão impedir um motorista de aderir a uma associação de proteção veicular dizem respeito às condições do veículo. Isso porque peças de carros mais antigos são difíceis de serem encontradas.

Assim, para que associações que trabalham de forma correta não deixem de atender casos de colisão, proprietários de veículos em tais condições poderão ter um pouco mais de dificuldade em contratar um pacote de benefícios.

Por outro lado, a análise de perfil do motorista na associação de proteção veicular nem sequer existe. Não importa se você teve problemas com multas, se o seu lar é desprovido de garagem, se você tem 18, 19, 20 anos ou se há grande ocorrência de roubos e furtos em sua região. Nada disso influenciará o preço dos serviços

Para que você entenda o quanto isso faz a diferença, basta imaginar uma situação em que sua esposa ou seu filho se envolvam em um acidente de trânsito. Caso você tenha aderido a um serviço de proteção veicular, não haverá problema algum em relação ao pagamento de sua indenização ou acionamento do serviço de reparo e concerto, pois não importa quem estava conduzindo o veículo.

Por outro lado, caso a sua opção tenha sido por um seguro tradicional, você enfrentaria problemas para cobrir os danos em seu veículo, pois a maioria das seguradoras impõe severas restrições em termos de valor para cobrir sinistros envolvendo alguém que não seja o condutor principal, como já apontamos anteriormente.

Veja o quão grave é está situação. Tenha em vista que, ao longo de um ano, você pagará entre R$ 2.000,00 e R$ 3.000,00 (valores praticados no mercado de seguros para carros populares), e quando precisar acionar algum tipo de cobertura, isso lhe será negado.

Mais do que isso: caso você consiga usufruir do serviço, ainda haverá um ônus no momento da renovação do seguro. Isso porque a ocorrência de sinistro gera um status negativo em seu perfil de segurado, levando a uma correção do valor da apólice.

Mudança de perfil do motorista ao longo do tempo

Outra implicação muito importante em relação à diferença de organização dos dois tipos de serviço tem a ver com o fato da mudança de perfil do motorista ao longo dos anos. Imagine que, de tempos em tempos, você mudará de residência, trocará de veículo, passará a utilizá-lo para o exercício de novas atividades e assim por diante.

Todas essas transformações citadas poderão tornar o preço de sua apólice mais salgado. Esse tipo de variação e instabilidade certamente não interessa a nenhum assegurado. Tenha em mente que, ao início de cada ano, você não saberá quanto pagar pelo seu seguro.

Quanto a isso, mais uma vez devemos ressaltar as vantagens da proteção veicular em relação aos seguros. Isso porque, como já citado, não há análise de perfil, portanto, o preço de seu pacote de benefícios não apresentará variações em função das mudanças que se derem em sua vida de maneira geral. Trataremos adiante dessa questão.

Variações nos valores dos serviços

Como falávamos há pouco, nas associações de proteção veicular, os valores dos pacotes de benefícios, de maneira geral, não apresentarão grandes variações. A mensalidade é formada por taxa de rateio, taxa administrativa, cota fixa (varia de acordo com o valor do veículo) e serviços adicionais contratados.

O rateio diz respeito aos prejuízos com os veículos dos associados em cada mês. E, para que não haja grande variação nos valores, mês após mês, algumas associações trabalham com um valor médio, uma espécie de estimativa baseada nos valores de rateio ao longo do tempo. Dessa maneira, em vez de pagar uma “montanha-russa”, você deverá desembolsar um valor praticamente fixo.

Outros elementos variáveis da mensalidade são a taxa administrativa e os serviços adicionais contratados. A primeira aumenta ou diminui de forma pouco significativa, enquanto os adicionais aumentarão conforme a preferência do associado.

Por último, temos a cota, que é fixada pelo valor do veículo. Como exemplo, imagine que a cada R$ 20.000,00 teremos uma cota no valor de R$ 30,00. Com isso, o carro cuja tabela FIP seja de R$ 40.000,00 pagará 2 cotas — R$ 60,00. O veículo cujo valor seja de R$ 30.00,00, pagará 1,5 cota — R$ 45,00.

Esse é um critério que estabelece uma relação de igualdade entre os associados, uma vez que o veículo de maior valor pagará um pouco mais pela proteção, enquanto os de menor valor de mercado pagarão menos.

Agora que você pôde compreender melhor como funciona a análise de perfil do motorista, convidamos para que entre em contato com a AMV Brasil, associação de proteção veicular em operação no mercado desde 2009, com um extenso histórico de bons serviços prestados a seus associados. Entre em nosso site e confira nossos pacotes de benefícios!