skip to Main Content
ÁREA DO ASSOCIADO:

DPVAT e Proteção veicular: por que unir o útil ao agradável?

DPVAT E Proteção Veicular: Por Que Unir O útil Ao Agradável?

Para manter a documentação de seus veículos em dia, todos os motoristas devem pagar, no início de cada ano, o IPVA e o seguro DPVAT — ou seguro obrigatório, como muitos costumam chamar.

O IPVA é o famoso Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores destinado a manutenção das vias e estradas estaduais, mas e o seguro DPVAT? O que é? Muitas pessoas têm dúvidas quanto à destinação dos recursos arrecadados ou quanto às condições para se beneficiar do seguro.

No post de hoje, vamos tratar desses pontos listados, além de apresentar uma discussão em relação a importância de também contar com um serviço de proteção veicular.

Nesse sentido, seguro DPVAT e proteção veicular formariam a combinação ideal para quem pensa em rodar com segurança garantida tanto para os ocupantes do veículo quanto para o próprio patrimônio. Não deixe de conferir!

O que é o seguro DPVAT?

DPVAT é uma sigla para Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres. Assim, como o próprio nome faz entender, se destina a indenizar vítimas de acidentes de trânsito nas estradas brasileiras.

Esse seguro obrigatório é cobrado anualmente junto ao IPVA. Para 2018, a tabela de custos segundo a modalidade de veículo passa a ser a seguinte:

  • moto: R$ 180,65 (mantido o valor de 2017);
  • carro: R$ 41,00 (redução de 35% em relação ano anterior);
  • caminhão e camionete: R$ 43,00 (redução de 35% em relação ao ano anterior).

Qual a destinação dos recursos arrecadados?

Não é nenhuma novidade que o volume de acidentes nas estradas brasileiras é fonte de inúmeras preocupações para todos os níveis do governo. Objetivamente, essa preocupação diz respeito às vítimas e aos custos envolvidos para oferecer atendimento médico para todas elas via Sistema Único de Saúde (SUS).

Tenha em vista que procedimentos de média e alta complexidade, como cirurgias para reparação de fraturas ósseas, transfusões de sangue e oferta de diferentes tipos de exame, oneram consideravelmente o orçamento da saúde.

Com isso, boa parte dos recursos provenientes do seguro DPVAT tem como destino o Ministério da Saúde — 45% do total arrecadado. Outros 5% são repassados ao Ministério das Cidades, visando a promoção de campanhas de educação no trânsito para a conscientização dos motoristas. Os 50% restantes ficam reservados para a indenização das vítimas.

Qual tipo de cobertura o seguro DPVAT proporciona?

A cobertura proporcionada pelo seguro DPVAT destina-se a pedestres, motoristas e passageiros, sendo que os casos que podem ser indenizados são os seguintes:

  • morte;
  • invalidez permanente ou parcial;
  • despesas hospitalares comprovadas.

Em se tratando de valores por cada tipo de incidente, a lei que regula que o seguro DPVAT prevê o seguinte:

  • cobertura em caso de morte: R$ 13.500,00 por vítima;
  • cobertura por invalidez permanente: valor máximo de R$ 13.500,00 por vítima (varia de acordo com a gravidade das sequelas);
  • cobertura de reembolso por despesas hospitalares: valor máximo de até R$ 2.700,00 por vítima.

Como acionar o seguro DPVAT?

Agora que você já conhece o que é o seguro DPVAT e qual é a destinação dos recursos arrecadados, é chegado o momento de entender como acioná-lo. Comecemos pelo período pelo qual qualquer cidadão poderá solicitar sua indenização, que é de no máximo 3 anos a partir da data do acidente.

O pedido poderá ser feito pelo próprio site do Detran de seu estado, sendo que a documentação a ser anexada variará de acordo com o tipo de indenização. Confira quais são os principais:

  • boletim de ocorrência policial;
  • autorização de pagamento cujo modelo se encontra no site do Detran;
  • documentação do beneficiário.

Por que também contar com a proteção veicular?

Como você pôde acompanhar ao longo deste post, o seguro DPVAT destina-se a indenizar vítimas de acidentes de trânsito nas estradas brasileiras, o que não inclui nenhum benefício de caráter patrimonial. Isto é, nenhum recurso desse seguro poderá ser utilizado para conserto ou reparo dos veículos envolvidos em acidentes.

Dessa maneira, convém pensar em alguma solução nesse sentido. Afinal de contas, acidentes poderão representar um prejuízo e tanto para você, não é mesmo? E, muitas vezes, o seguro tradicional não é uma opção viável, pois envolve custos muito elevados e um cansativo processo de adesão, cercado de pontos controversos e burocracia complicada.

Nesse cenário, a proteção veicular desponta como a melhor saída para motoristas que pensam em gastar pouco, mas sem deixar de proteger seu veículo de forma satisfatória. Para que tudo fique mais claro, apresentaremos a seguir as principais questões que você precisa conhecer:

Melhor que o seguro tradicional

Como já mencionamos, os custos envolvidos para ingresso em uma associação de proteção veicular são muito inferiores àqueles dos seguros tradicionais.

Isso se deve ao fato de as associações operarem sem o intuito de obter lucro, angariando recursos apenas para arcar com os prejuízos dos veículos dos associados e manter uma estrutura administrativa para uma boa prestação de serviços.

Adesão descomplicada

Este é outro fator que chama a atenção de quem tem considerado ingressar em uma associação de proteção veicular. Isso porque não existem aquelas análises de perfil que oneram o serviço conforme as características dos condutores.

Assim, em caso de sinistro, não importa quem esteja ao volante (filhos, esposa, funcionário etc.), você terá a cobertura contratada independentemente disso. Ao mesmo tempo, não há nenhum custo adicional em função dessa vantagem.

Pacotes de serviços personalizados

Como todos sabemos, a necessidade por proteção veicular é bastante distinta de motorista para motorista. Muitas pessoas acabam optando por pacotes mais completos de vantagens, que oferecem maiores benefícios. Outras tantas precisam do básico e acabam escolhendo o plano mais simples.

Dessa maneira, ao ingressar em uma associação, você poderá incluir os serviços e vantagens que melhor lhe convém, pagando sempre um preço justo.

Garantia de cobertura

Um grande receio de muitos motoristas é não ser indenizado ou poder contar com os serviços contratados em qualquer eventualidade. Quanto a isso, devemos destacar a solidez das grandes associações de proteção veicular em operação no mercado.

Nesse cenário, temos, por exemplo, a AMV Brasil — associação de proteção veicular com excelente histórico de serviços prestados há quase 10 anos.

Oferecemos uma extensa lista de benefícios aos nossos associados, o que inclui cobertura para roubo, furto, colisão, incêndio, perda total, granizo, alagamentos, quedas de árvores, socorro elétrico/mecânico e muito mais.

Entre em contato hoje mesmo e confira qual pacote de benefícios melhor se adequa a seu perfil. Assim, você poderá contar com seguro DPVAT e proteção veicular ao mesmo tempo!